domingo, 17 de dezembro de 2017

Clássicos em quadrinhos

Este Os Lusíadas pega os trechos mais famosos ,em versos,e os conta graficamente, interessante.Deu vontade de conhecer o original, será que algum dia eu encaro?!?!
Já o Ilíada e Odisséia faz um resumão básico dos episódios das epopéias.Não gostei do traço - desenhos ridículos,apesar da síntese ser bem didática.São as histórias mais antigas e "conhecidas" de um modo ou de outro.Também preciso conhecer os originais.
Leiturinhas.

sábado, 16 de dezembro de 2017

O diário de Anne Frank,em quadrinhos

Resultado de imagem para o diário de anne frank em quadrinhos


Dos livros sobre a Segunda Guerra Mundial sempre via os relançamentos deste diário e sempre "me afastava".O mesmo vale para o Menino do Pijama Listrado,vi o filme e fiquei mexida.Fico muito emocionada.
Tá certo,não é novidade nenhuma tudo o que foi perpetrado nos campos de concentração nazistas e é sempre bom que a memória se mantenha viva para que não caia no esquecimento,mas não queria colaborar com o "comércio" que se faz desta memória.Sim,acho que tem uma super exposição de tudo relacionado a Anne Frank,e muitas outras histórias ficam escondidas ou não tem um milésimo da exposição que os diários da menina alcançaram.Fica um aspecto meio negativo,por causa disso.
Mas,superando tudo,não resisti à essa versão em quadrinhos - acho que fica menos "forte" que os diários em si,que tem sido publicados com fotos .A história é a mesma,só muda o jeito de ser contada.


UPDATE:
O mais legal foi ver como ela descreveu a vida no esconderijo,sua perspectiva e,sim,mostrar como era uma adolescente mas muito perspicaz .A gente quase esquece que estavam em confinamento e por um longo período.
Interessante também descobrir que o lucro das vendas vai para organizações a favor da infância.


PS: aliás,renovei o estoque de HQs e Graphic Novels,quero ler mais e também reler algumas que estão esquecidas nas estantes.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

E pra me divertir: Sherlock

Imagem relacionada
(foto da internet,meramente ilustrativa)


Ainda faltam dois pra que eu faça esta coleção do Sherlock(O cão dos Baskervilles e as Memórias de Sherlock Holmes - tenho este da Martin Claret,mas não confio nas traduções desta editora) ,resolvi aproveitar a preguiça de ler coisas mais elaboradas e começar a reler estas histórias que sempre são cativantes.Diversão das boas e em edições novinhas.Já tive antigas,de várias editoras,mas nenhuma edição cuidada como são estas novas - capa dura,tamanho pocket,folhas amareladas,novas traduções.Fiquei em dúvida entre esta coleção e o box da Nova Fronteira,mas o tamanho dos livros me decidiu - e como comprei em promoção,não ficou caro.Vou ler em ordem cronológica de publicação (peguei as datas na Wikipédia).A Duda do canal Book Addicted tem um projeto de leitura que também segue esta ordem e eu já assisti todos os vídeos deste ano,talvez agora eu possa acompanhar melhor,com "conteúdo" e não só curiosidade.



UPDATE      (14-12)


Já foram Um Estudo em Vermelho,O Sinal dos Quatro e agora estou n'As Aventuras de Sherlock Holmes.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Uma História da Leitura,relendo




Pela data que está marcada na folha de rosto,eu comprei e provavelmente li este livro em 1998,a capa e os cortes já estão amarelados.Lembro de ter gostado e de ter sido uma leitura enriquecedora(tanto que guardei o livro até hoje),mas não ficou na memória nada mais concreto que isto.

Faz tempo que eu não lia nada tão "técnico",explico:a escrita é simples,mas o conteúdo não exatamente,então a leitura começou com um rítmo mais lento do que eu esperava(minha mania de devorar livros!) e acho que não vai ser "corrida".Mas estou gostando,será que verei "mais" que na primeira leitura?Agora parece que não tenho mais o "arcabouço"(perdão pelo "palavrão")intelectual que já tive.Não tenho mais muito uso "prático" pra ele.
Mas devagarinho eu darei conta deste - talvez até não seja o momento apropriado,já estou com preguiça de final de ano(é,mesmo aposentada fim de ano e eu cansada),com mais vontade de Netflix que outra coisa.Mas ler é preciso!

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Balanço de leituras até 30-11-2017



O ano ainda não terminou,mas eu queria saber mais ou menos que tipo de livros eu li até agora,não "tabulei" incansavelmente,escolhi as "categorias principais" e ficou assim:

No total 76 leituras
              7 quadrinhos MSP
              13 não ficção
              56 ficção
              Autores brasileiro 11
              Autoras brasileiras 5
              Autores europeus 21
             Autores americanos 9
             Autora americana 1
             Autores russos 3
             Livros em francês 16(não computados no "geral" europeus)
             Textos da antigüidade 3
             Japonês 1



Preciso ler mais brasileiro(a)s , latino americano(a)s,asiático(a)s e africano(a)s também,veremos daqui pra frente.
E não adianta,os autores preferidos aparecem bastante(3 Lenormand,4 Ken Follett,2 Jean d'Aillon,vários Dumas) e os que se tornaram preferidos ,mais que os outros(conheci Valter Hugo Mãe e gostei,li 2 dele com pouco intervalo de tempo - e já tenho outros comprados e ganho em troca no Skoob - para ler),amei o Vida e Destino do Vassili Grosmann(ficou o preferido do ano) e ,no geral,foi um ano de boas leituras e consegui sair um pouco da caixinha e ler coisas diferentes além dos meus eternos romances históricos,então,valeu!E que eu melhore como leitora,cada vez mais.
       

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Livros sobre livros,sobre escrita e sobre leitura




Ainda está numa organização improvisada,mas consegui deixar juntos os meus livros sobre escrever e ler e sobre os próprios livros.Não são muitos,mas são especiais:nem todos já foram lidos e preciso colocá-los em uso logo ,e os que já foram,precisam de uma releitura o quanto antes!Ler sobre ler  e sobre a escrita é um tipo delicioso de leitura e ter especialistas falando sobre,muito bom!

terça-feira, 28 de novembro de 2017

TBR:um Graciliano,pena que não dos bons





Escolhi este porque estava me esperando desde o meio do ano,foi um dos primeiros que recebi das trocas no Skoob.Esta edição é do começo dos anos 80,está até que bem conservada.
Do Graciliano lembro de ter lido há muitos e muitos anos o Angústia;depois;li o Memórias do Cárcere e ,do Vidas Secas ,conheci apenas  o filme que é dos anos 50-60,daí vi "livro de contos" e me interessei,achei que seria uma amostra boa da escrita desse autor,histórias do nordeste,de famílias ou por aí .E,bem,a primeira metade já li numa sentada e .....não gostei.
Até agora foi um amontoado de "causos" que parecem com um quadro que o Chico Anysio tinha no Chico City nos anos 70-80(quem sabe foi a inspiração?!)onde um homem "de olho torto" contava suas peripécias no sertão,e a mulher terminava o quadro sempre afirmando as "verdades" das façanhas do marido.Interessante?Nem um pouco.De "domar" onça,montar bode gigante,móveis que se enraízam e tornam a ser árvores,é um amontoado de coisas inverossímeis que passam longe de um realismo mágico,por exemplo,fica parecendo lorota mesmo.Talvez por ter sido escrito antes da metade do século passado ficou datado demais;tem um vocabulário incompreensível(cavalo de fábrica,garrafa de cachimbo,"despotismo" - para tudo que é muito grande,forte,podeeroso ou caro,etc).
Além desta parte I,estes causos do Alexandre ,ainda tem uma parte "Terra dos meninos pelados" e a última,"Pequena História Da República" que eu espero que salvem a leitura,até agora decepcionante.



UPDATE:
Terminou como começou,a história "infantil" não tem graça nenhuma( e foi premiada na época em que foi lançada?!?! )e a Pequena História da República é isto,pequena,rápida e meio superficial.
Me pareceu que esta "coletânea" foi publicada depois da morte do autor então não se sabe se seria uma escolha dele juntar estes textos num livro só.O resultado não foi bom.

sábado, 25 de novembro de 2017

Black Friday,daí que caí na tentação.


 


É,falei que não,mas acabou que comprei mais uns livros,não teve jeito.Alguns e-books que estavam bem mais em conta que os livros físicos(gastei menos de 70 reais em 9 livros e mais um quase com preço cheio por ser de lançamento recente,22 reais).Isto na quinta,ontem alguns preços de livros que estavam na minha (agora pequena)wishlist também diminuíram,caí na tentação e quase completei os meus Sherlock na edição da Zahar(acho mais cute que a edição da Nova Fronteira) ,comprei o Coluna de Fogo pela metade do preço que estava até ontem , um Valter Hugo Mãe(da Cosac,ainda) e um Alberto Manguel que queria há muito tempo,fora meu Fausto do Thomas Mann que estava também com desconto.
Tá bom,nada assim "baratíssimo"(os Sherlock sim,16,17 reais cada),mas ainda melhor que os preços normais.Já estou planejando como arrumá-los nas estantes e colocar os que são "coleção(zinhas) juntos.E rearranjar,rearranjar,rearranjar,não vai ter jeito,tenho que criar espaço de alguma maneira.

Daí você se pergunta:era realmente necessário?
Nada de extremamente urgente,mas dentro do meu possível,sem exageros e com gasto controlado.Acho que valeu!


Daí,uma outra pergunta:Por que na Amazon?
Porque eles vendem mais barato,fazer o quê?

E como eles conseguem realizar preços tão abaixo do mercado?
Daí,é melhor você assistir o vídeo do Yuri do Livrada! que fala sobre isso e sobre o consumismo incentivado pelos Booktubers ,que são "parceiros" da Amazon;consumo consciente e mais.
Certo,dá até pra concordar com ele,mas ,se posso pagar menos,por que procurar livrarias físicas?



https://youtu.be/CT7avXVncro



quinta-feira, 23 de novembro de 2017

O Dan Brown da vez

Como estou me controlando na compra de livros não fui atrás desse no lançamento,bem diferente dos anteriores que já pedia na pré-venda.Baixei o PDF que puxei no Lelivros e quando percebi estava no capítulo 5.Gostando como foi com os outros (sim,o autor tem uma fórmula e pode ser mais do mesmo,mas me diverte e é uma leitura sempre rápida).Daí resolvi comprar o e-book.Não foi exatamente barato, mas foi menos do que o físico e sem entulhar mais as estantes.E bem melhor que ler em PDF.

sábado, 18 de novembro de 2017

D.Pedro uma história não contada

Como li uma "certa" biografia da Leopoldina,estava faltando uma do Pedro.Espero as "novidades" prometidas sobre o personagem.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Esquenta Black Friday:e eu preciso de mais livros?!?!?


Estava organizando umas prateleiras nas estantes( a moça que me ajuda limpa os livros,graças aos deuses,só que os tira da "ordem" ) e arrumando espaço onde não tem.Mas ,sempre cabe mais ,é só "ajeitar" - ir colocando aonde der e seja o que tiver que ser!
Das 28 prateleiras(contando até o "teto" das estantes),4 são quase inteiramente de livros novos,comprados nas promoções(principalmente da Amazon) neste ano.Fora  os outros,meio espalhados aqui e ali onde consegui colocar.Fora o acervo no Kindle,muitos e muitos e-books armazenados.Ou seja,tenho leituras inéditas por um longo período - de todos os tipos de livro que se possa imaginar.Fora os que já tenho e esperam releitura - afinal já tirei bastante coisa este ano ,dos que estavam empatando espaço e que nunca mais leria(fiz 30 envios de livros pelas trocas do Skoob,uma grande parte dos que eram da época da faculdade e ainda sobraram alguns,pra quando eu precisar de mais créditos para trocas).Só esperando os últimos  que pedi serem enviados - mais alguns para "fazer caber".
Daí me pergunto?Preciso de mais livros?E as promoções da Black Friday,vou perder? Bem,acompanho os preços continuamente e só tenho comprado quando estão realmente bons então vou conseguir avaliar se aparecerão ofertas vantajosas,mas....vou comprar mais livros?!?!Eis a dúvida.Mas minha wishlist está enxuta,ao invés de acrescentar títulos este mês,eu fui tirando muitos que eram "demais"(por exemplo,tenho bastante russos inéditos,não preciso de mais títulos de autores que ainda nem li,não preciso ler a obra completa de cada um,tarefa impossível) e os que com certeza não seriam leituras "pra já".Dos que restaram,só comprarei se a vantagem for evidente.Se ficar no "quase",vou deixar pra um depois que não sei quando será.
Com os sorteios de livros pra ler(minha TBR) comecei a tirar alguns do esquecimento e espero continuar fazendo isso.Dá uma certa angústia ter tantos livros pra ler e ,ao mesmo tempo,saber que ainda existem muitos que não conhecerei,não dá tempo - nem que eu fizesse só isso.




segunda-feira, 13 de novembro de 2017

O Jean-François Parot de 2017



Desta vez parece que demorou mais,acho que não foi só impressão,o anterior foi em 2015!Este já é o décimo quarto da série e cada vez mais perto da Revolução.Como Nicholas vai ficar?Seus compromissos reais vão prejudicá-lo?Ele vai se manter fiel?Veremos o que acontece, não via a hora de chegar este livro!

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

E o escolhido da vez foi um texto da antigüidade



E dessa vez saiu um inesperado,mas veio para "substituir" a leitura que eu havia feito como sendo da Antigüidade,mas foi um texto adaptado (Lisístrata,meses atrás). Não estou com ânimo para os grandões (Ilíada,Odisséia,Eneida),mas esta Epopéia me espera há mais de vinte anos!Sim, daqueles esquecidíssimos na estante.Tá na hora,é um livro pequeno.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

E pra distrair mais um Ken Follett

Acho que eu deveria ter posto na TBR uma categoria "livros sobre a Segunda Guerra" porque só este ano acho que já é o terceiro ou quarto que eu pego que tem a ver com esse tema.Adoro!
E é pra distrair mesmo,apesar de não gostar muito de leituras paralelas,porque as cartas do Van Gogh tem uma coisa pesada,muita coisa técnica sobre os pintores que ele admirava(e foram muitos) e uma melancolia....preciso sair disso um pouco.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

TBR,mais um



Gostei deste jeito de escolher as leituras,está me ajudando a variar e a tirar os esquecidos da estante.Começou bem,então continuarei - finzinho de ano a preguiça de pensar no que ler está maior que tudo!
Peguei este livro, primeiro, porque também está nas estantes há muito tempo, e porque gostei demais de ler as cartas do Caio Fernando Abreu e acho que estas também me emocionarão.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Livro lido por influência

Sim,sou influenciável,e quando se trata do canal da Tati Feltrin no YouTube,nem me fale! Além das análises dos livros,ela passa um entusiasmo com a leitura que contagia.Já aconteceu antes e por esses dias, novamente: assisti ao vídeo sobre o Cândido do Voltaire e batata,tive que baixar pra ler imediatamente!
Além da série do Lenormand que o coloca resolvendo crimes,o único Voltaire pra valer que eu li foi o Lê siècle de Louis XIV. 

sábado, 28 de outubro de 2017

Pensando numa TBR

Não sei se abarca todos os tipos de livros que tenho(talvez até ultrapasse)mas vou fazer uso destas tirinhas para sortear o que ler nestes momentos como agora em que não consigo escolher.Uma TBR box(potinhos de vidro caem e quebram, caixinhas são mais seguras pras minhas mãos).Quero movimentar o acervo.



É só fechar os olhos e sortear(não vou dobrar porque ficaram muito estreitas)mas prometo não roubar.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

E para ler os livros na fila de espera,faço metas literárias?



Dei um tempo nas leituras(Netflix agradece),fiquei mexida com o Caio Fernando e ainda "não passou",e as leituras que fiz depois ficaram no mais ou menos,mas estava olhando o tanto de livros que ainda tenho pra ler e não sei por onde retomar,se começo pelos contemporâneos,se continuo nos romances históricos,se pego mais algum clássico,os nacionais que ainda não li,não sei mesmo.
Daí pensei nas tais das metas literárias,estabelecer uma lista por tipo/gênero de livro e ir,aos poucos,dando conta dos volumes.
Nunca fiz isso,sempre fui lendo conforme a vontade,mas neste intervalo entre leituras que já está grandinho,ela não apareceu.

Fazer TBR(to be read) ou TBR Jar?

Começar por onde?
Sortear?
Ainda estou pensando.

sábado, 21 de outubro de 2017

Trocas no Skoob:e quando se recebe um livro com carimbo de biblioteca?

Consegui,como disse num post anterior,disponibilizar muitos livros para troca no Skoob e comecei a solicitar outros para aproveitar os meus créditos.Daí,chega o livro e....está cheio de carimbos de biblioteca!!!!!!Pasmei.
Que cara de pau a pessoa usar um livro que não é seu para obter créditos de troca!Ao contrário de outras trocas que fiz, essa me deixou bem insatisfeita,mas, fazer o quê?!?Reclamar com os administradores,no mínimo.E já avaliei colocando minha insatisfação.A culpa não é do Skoob,é da falta de caráter de quem usou um livro que não era seu!

Daí me dizem(no Facebook onde publiquei minha indignação)que talvez o livro tivesse sido ganho da escola,ou coisa assim.Não,não era,veio de uma biblioteca.Inadmissível.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Consegui um autógrafo!

Tinha visto algumas pessoas mostrando o autógrafo do Bernard Cornwell no Facebook e fiquei com vontade de também ter um .Entrei no site do autor,pedi e agora,algum tempo depois ,chegou pelo correio.Amei!

domingo, 15 de outubro de 2017

Voltando aos Romans,Alexandre Dumas


(figura meramente ilustrativa)




As cartas do Caio Fernando ainda estão  aqui,difícil de desfazer da hiperrealidade de uma vida não ficcional então,leiturinhas leves só pra espairecer,peguei mais um dos romances do meu e-book do Dumas para passar o tempo.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Marcadores Fellipe Ernesto




Quem gosta de livros,gosta e usa marcadores.Nos meus livros lidos sempre deixo um.Tenho uma caixinha pra eles que vão desde etiquetas que vem em roupas,alguns de livrarias(antigos), até alguns que eu mesma fiz.
Estava aguada por estes desenhados  pelo Fellipe,mais "luxuosos",com tassel ,encomendei e voilá.Lindos,artesanais e especiais.Os ex libris vieram de brinde. 


domingo, 8 de outubro de 2017

Fazendo sebinho - Trocas pelo Skoob

Ontem estava tentando encaixar um livro numa das prateleiras cheias quando me perguntei:por que estou guardando ainda estes livros.Coisas da minha época de faculdade, século passado.Lidos há eras, alguns não completamente.Pra quê continuar guardando,à toa.Daí coloquei disponíveis no Skoob e rapidamente quase todos foram solicitados.Avisei do amarelamento de alguns,grifos(á làpis) em outro , não houve rejeição.Resultado: desapegar do que não é essencial,ficar com o que ainda significa alguma coisa.
Amanhã vai ser dia de correio,e eu fiquei mais leve.E receberei os créditos para conseguir outros livros desejados.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Update




Estou navegando pelas cartas do Caio Fernando Abreu e como está diferente o rítmo desta leitura.
Estou gostando muito e ao mesmo tempo lendo o livro muito aos poucos.Poucas cartas de cada vez e intervalo de dias para pegar as próximas.Muita coisa toca,lembranças dos anos 80/90,pessoas citadas que fizeram parte da minha memória daqueles tempos,fatos que atingiram todo mundo(planos econômicos,inflação disparada,perrengue de dinheiro,a politicagem,censura).Ele falando do problemas para se manter,das constantes mudanças de endereço,apertos para conseguir publicar suas obras em meio aos múltiplos trabalhos que era obrigado a aceitar para manter as contas - e eu lembrando meus próprios problemas na época,com a diferença que eu era muito jovem,começando a trabalhar e ele já era mais maduro e estabelecido,apesar das dificuldades.E este país "atrapalhando" o desenvolvimento pessoal,a história de sempre só que naquele período ,fim da ditadura,ainda haviam esperanças,que pluft!Foram para o espaço.
Ele é muito aberto em suas cartas,fala de tudo,seus problemas afetivos além de todo o resto,e daí pra lembrar que as cartas eram muito importantes,muito mais que e-mails e what's de hoje,eram mais profundas,mais perenes.Era um alegria receber ou enviar cartas,era um hábito que infelizmente a velocidade da comunicação online destruiu.E essa memória que fica escrita,por mais parcial  que seja(não temos as respostas,só as que ele enviou e foram disponibilizadas para o livro - com alguns nomes citados transformados apenas em iniciais,quando não omitidos,bem como alguns trechos) é muito importante.Retrata uma época.
Muito interessante também ele mostrando o processo criativo,a ralação que é construir um texto de qualidade,anos para conseguir terminar alguns deles.Sim,a inspiração o encontrava trabalhando.E apesar de tudo ele foi publicado,encenado e premiado em vida.
Pois ele morreu no auge,na maturidade do talento.Foi um entre muitos que a AIDS levou - o livro ainda não alcançou o "fim",mas dá vislumbres quando são citadas outras vítimas. Cazuza aparece assim.

Estou com apenas 36% da leitura(lendo no Kindle) e acho que ela vai assim,devagar até alcançar o que falta:a época dos seus começos,ínicios profissionais/afetivos - as décadas finais estão no começo,as mais antigas ficaram no fim desta organização/seleção de correspondência.
Recomendo mesmo,ótima leitura.

domingo, 17 de setembro de 2017

Trilogia do Século (Ken Follett)- Eternidade por um fio


Nossa, já cheguei na última parte, tudo bem que este livro é um pouco maior que os outros, talvez demore mais,mas que leitura rápida! Ótimo panorama,novelão,mas muito gostoso de ler.
O

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

E não é que li bastante,até agora


Devoro os livros quando gosto deles,será que eu perco alguma coisa por isso?Pode ser, eu até tentei ler mais devagar mas não consigo - a não ser que o livro seja arrastado(o que foi aquele Os Miseráveis este ano?!?!Decepção define).
Tive dias de "descansar" e guardar o que tinha lido,segurando a leitura em mim(o Vida e Destino foi o livrão do ano até agora;e Bartleby,que texto).E tem coisa que certamente vou reler(o Dürrennmatt deixou um gostinho de quero mais).
Alguns livros já não me satisfazem como antes(li os últimos D'Aillon e Lenormand gostando,mas sem me empolgar e parei o "projeto" de ler os romans do Dumas ),será que meus romances históricos estão com os dias contados?!?!Mas eu tenho gostado tanto do que li até agora da Trilogia do século!
Conheci novas escritas(gostei muito do Valter Hugo Mãe e nada da Maria Valéria Resende),e resgatei as clássicas:Tolstói e seus contos me pegaram de jeito,humanos,a gente sente o que está escrito.
E por falar em e-book,fiz as pazes com meu kindle e li muito nele - até deu pra aproveitar alguns precinhos quase-de-graça,mas ultimamente tenho me assustado com os valores,quase iguais aos livros físicos - assim não compensa,ainda mais nos lançamentos.Mas,sem espaço nas prateleiras,será a saída para aumentar o acervo num futuro próximo?!?!
E deu pra perceber que continuo praticando minhas leituras em francês,né?Tenho medo de "perder" o idioma,vou mesclando com as leituras "traduzidas" e sim,leio muito coisa que vem do inglês e não acho isso um problema.Ler só porque é brasileiro-mulher-preto ou branco ou sei lá mais o que não me chama a atenção.O que gosto são boas histórias e sim,critico muito quando termino uma leitura,mas a maioria do que li eu gostei.
Podia ter lido mais?Não sei,percebi que leituras paralelas se perdem e não funcionam pra mim - sim,tem sido de um em um,é do jeito que ler  "trabalha" melhor comigo.
Podia ter lido melhor?Diversifiquei bastante este ano,acho que atingi muitos gêneros(de contos,crônicas,clássicos,livros contemporâneos,de outras nacionalidades,teve de tudo um pouco).Inclusive nas compras,tenho muito autores desconhecidos pra ler e muitos títulos de todos os tipos(sim,minha parte de livros para ler aumentou bastante,viva as promoções da Amazon!),leituras futuras garantidas por um bom tempo e não ,eu-não-posso-mais-comprar-livros-não-cabe-mais!Só fazer trocas no Skoob,adorei!
E eu vou deixando as leituras "passarem" por mim,fica o que tiver que ficar.A sensação no momento que leio e as "marcas" são os bônus,os textos ruins ou que não "bateram",bem,faz parte(tinha que ter alguma coisa ruim numa atividade tão intensa e prazerosa!).



Resultado de imagem para livros sendo lidos

domingo, 3 de setembro de 2017

Les Colléges Fantômes - Jean d'Aillon

Não tenho mais espaço nas estantes, então tem que ser no Kindle,mas o preço deste foi tal o preço de capa- fica menos caro que em euro, lógico,e não tem que esperar entregar.
E começou bem no estilo do autor,com ação e apresentando os primeiros dos vários personagens e núcleos,mais um do Louis Fronsac.

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Panique á Rouen - Frédéric Lenormand

Panique à Rouen: Une enquête de Voltaire à Rouen (French Edition) by [Lenormand, Frédéric]


Estou amando o Queda de Gigantes do Ken Follett,mas das 900 e poucas páginas faltam apenas umas 200 pra terminar,foi muito rápido!Pra frear um pouco e fazer render o fim desta leitura eu comecei o novo Lenormand que baixei no Kindle - o espacinho na estante para este escritor está superlotado,não cabe mais nada.
Lendo mais devagar ,acompanhando Voltaire em mais uma de suas peripécias,sim são muito verossímeis(tenho toda a série Voltaire mene l'enquête) por mais exquise que sejam - agora só em e-book(e porque ficou mais barato  que a edição impressa,neste caso)Gosto demais do autor,e tenho ainda ,em versão impressa - edição do autor - a L'Odyssée de Abuonaparti pra ler!,minha fila de livros pra ler só aumenta.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Trilogia do século (Ken Follett) Queda de Gigantes

Resultado de imagem para trilogia do século ken follett


Partindo para mais uns calhamaços,juntando tudo que eu gosto:romance histórico e livro grande,no caso livros.Comecei o primeiro e está numa vibe Dowton Abbey,uma viagem no tempo acompanhando vários núcleos familiares - só que depois de ter lido o Vida e Destino tenho medo que todo e qualquer livro panorâmico fique "menor",veremos(como eu gostei muito dos Pilares da Terra e do Mundo sem fim,outra saga do mesmo autor,tô apostando que esta trilogia também vai me pegar).

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Leopoldina - a biografia íntima





Lendo no Kindle,livro que foi "brinde" da Amazon meses atrás.Queria ler alguma coisa leve,mas que não fosse ficção e, pra fazer a fila dos e-books andar, escolhi este.
Não tinha informação nenhuma sobre a edição e vi que é tradução de uma espanhola(ou em castelhano de algum país da América Latina?).
Sobre a Leopoldina tenho nas estantes o Cartas de uma Imperatriz(citado como uma das  fontes no a Biografia Íntima) livro muito interessante que estabelece uma biografia a partir da correspondência , e Uma Habsburgo no trono brasileiro(este também está por ler) .
A figura dela é muito trágica,como a de muitas "princesas",morreu jovem depois de uma infinidade de gravidezes(é assim este plural?) e abortos,além da morte dos filhos pequenos - e fora ter casado com o Pedro I que não era exatamente uma pessoa "fácil".Perdida nesta colônia de Portugal ,muito distante da sua Viena ,do meio cultural em que se criou,da sua enorme família e de qualquer amparo ou proteção.
Ainda li pouco,mas nada diferente do que já sabia sobre seus primeiros anos.Estou chegando na parte em que combinam seu casamento.O fim da história todos já sabemos,mas quero ver como este livro mostra a sequência de eventos para colocá-la como uma das responsáveis pela Independência - História a partir  dos  personagens "secundários" tem sempre um viés interessante.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Saramago:As Intermitências da Morte



Este Saramago "escapou"de mim - durante os anos 90/2000 consegui ler quase todos os livros dele logo após serem publicados,mas só guardei os meus preferidos o Evangelho Segundo Jesus Cristo,A História do Cerco de Lisboa e o Memorial do Convento - quase guardei também o Ensaio sobre a Cegueira,mas é um livro tão "duro" que acho que nunca mais vou querer ler algum dia.Talvez o Todos os Nomes e o Ano da morte de Ricardo Reis ainda "voltem" ao acervo,mas não tão já.

Este As Intermitências da Morte  todo mundo que leu elogia , eu comecei e a história é muito irônica,mostra o que acontece quando de repente ninguém mais morre,as "soluções " encontradas e as diversas facetas da sociedade,das autoridades,os empresários,as famílias,os bandidos,todo mundo "envolvido" .Comecei e li 25% do livro numa sentada,mas estou "economizando" pra não acabar logo e eu aproveitar ao máximo a leitura.Ele tem "o texto do Saramago" - pontuação majoritária com vírgulas,sem travessões para os diálogos e é só pegar o rítmo que a leitura flui bem.Estou gostando bastante,vamos ver como termina.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Um filme que tem a leitura como enredo

Resultado de imagem


Este filme é lento,mas impactante.A história de um encontro/desencontro que tem a leitura como canal de aproximação entre duas pessoas que muito provavelmente não se relacionariam,mas que apesar de tudo mantém uma ligação fortíssima,e os livros são  por onde passa o afeto.A aquisição da capacidade de ler/escrever humaniza uma personagem "dura",seca,improvável de ser sentimental,mas que se transforma quando passa a ser uma leitora.
Eu gostei demais ,além do tema me interessar muito,a Kate Winslet e o Ralph Fiennes estão incríveis.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Leiturinha rápida:Manual prático de bons modos em livrarias

Resultado de imagem para manual prático de bons modos em livrarias


Ri bastante lendo os "causos" acontecidos em livrarias entre leitores e livreiros ,mas ri muito mesmo.Depois(sempre tem um depois) parei pra pensar na falta de educação básica,na falta de conhecimento e cultura,no quão distante de muita gente é entrar em livrarias,consumir livros e até trabalhar com eles para quem não tem o costume de ler,daí a história perdeu bastante a graça.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

E no espacinho que faltava preencher....




...coloquei as últimas aquisições.Estou me controlando e fugindo das ofertas,tem livro demais me esperando pra ser lido e eu estou num momento "devagar" na leitura,dando um tempo maior entre uma e outra pra não sobrecarregar a cabeça e deixar passar batido - apesar das minhas críticas,li muita coisa legal este ano,saí da minha zona de conforto e num balanço,tive mais leituras aproveitáveis que não.


quinta-feira, 27 de julho de 2017

Pra falar de biblioteca tenho que falar da minha


Esta semana estão falando muito de bibliotecas,usando a #abibliotecadaminhacidade,pra falar daquelas que frequentam.
Mas não ,não frequento bibliotecas públicas.Tenho o "meu canto no sofá" pra ler e não tem como ler em outro lugar - a poltrona que fica exatamente no "quarto dos livros" está em desuso.Fora meu acervo pessoal que é grande.
Comecei a ter estantes na época da faculdade(idos dos anos 80) e desde então o acervo foi mudando dependendo dos gostos das épocas.Já foi pau a pau ficção/não ficção(sou formada em História e sim,sempre fui uma "compradora" de livros - não tenho filhos,sou sozinha,gasto meu dinheiro do meu jeito),hoje em dia é 3/5 ficção.Tenho alguns livros que resistiram aos expurgos que de tempos em tempos eu fiz para ter mais espaço(há cada vez que mudei de casa foi um) e este ano(culpa das promoções da Amazon e dos Booktubers - sim sou influenciável) meu acervo tem uma parte novinha em folha de não lidos.Muita coisa diferente do meu habitual.
Digo e repito:é muito livro pra pouca vida,tem muitos e muitos autores para conhecer e por mais que tenha lido de tudo,garanto que tem algum gênero que ainda não me pegou.Fora as releituras que acontecem ,ultimamente para ler no original - conhecer um livro em sua língua natal é demais,mesmo já "conhecendo o enredo" é sempre uma outra história - e eu tenho aproveitado meu francês para isso.Não vejo a hora de conseguir ler em inglês,já comecei com pequenos textos,quero alcançar mais este patamar de leitura.Daí,quantos mais eu vou querer?!?!
Onde vou colocar tanto livro?!?!?

A gente tem que ter espaço!Eu estou "na última prateleira"


Tem só  um espacinho no alto de uma das estantes e um "buraco" ainda vazio em uma das  prateleiras - isto se eu conseguir continuar a não fazer "fila dupla" em cada uma delas.


E os e-books(quando consigo grátis ou por precinho camarada)também se acumulam no Kindle!!!


Minha casa não tem luxos,nem móveis novos,tudo já é "vintage",mas minha biblioteca é incrível e eu não canso de olhar pra ela,pegar nos livros,rearranjar.

Sei que é "luxo" prum país que nem saneamento básico garante para a maioria da população,mas por mim,cada casa teria a sua.

sábado, 22 de julho de 2017

Les Liaisons Dangereuses - Choderlos de Laclos


Um verdadeiro romance em correspondências,delicioso de ler desde o início e olha que eu já tinha lido traduzido(há eras atrás) e visto o filme(com a Glenn Close e o John Malkovickh) mil vezes.É uma nova visão desta história,uma leitura muito fluída e gostosa.E melhor ainda ,o e-book estava de graça na Amazon,não tinha como não aproveitar!Tem vários em "domaine public" na aba e-books em francês é só procurar.
Resultado de imagem para les liaisons dangereuse ebook amazon



quarta-feira, 12 de julho de 2017

Vida e Destino,já estou com saudades

Resultado de imagem para Vida e Destino




Terminei ontem a leitura deste livro e confesso que já estou com saudades dos personagens,fiquei com um gostinho de quero mais.
Tendo a Batalha de Stalingrado(Segunda Guerra Mundial) como pano de fundo,acompanhamos (com alguma dificuldade no começo,devido aos nomes russos não serem fáceis ,depois a gente se acostuma) a vida de alguns grupos de pessoas:principalmente a família de Chtrum,sua esposa e filha,suas cunhadas e cunhados,enteado,sobrinhos,mãe e sogra( reconhecia as personagens conforme apareciam e pelas situações)que passam pelos perrengues da guerra contra o nazismo vivendo durante o stalinismo na antiga União Soviética.
A luta é contra os nazistas,acontece numa sociedade autoritária e controladora - todo mundo tem algum problema com as "autoridades" e os grupos agem conforme são afetados por elas.Comida,trabalho,moradia,agasalho,aquecimento,tudo depende do Estado(o "grande irmão" está em todos os lugares) e de como os "cidadãos" estão localizados nesta sociedade "igualitária"(só que não).
Há ainda os militares,os presos em campo de concentração nazista e também os presos políticos num campo de trabalhos forçados soviético.Cada grupo com vários "tipos",diversos e com motivações variadas
Há o  "problema judeu" que os soviéticos também tinham,tanto quanto os nazistas.Há os soldados alemães,mostrados de maneira mais intimista,sem estereótipos - tanta quanto os soviéticos.Há o problema da ocupação de territórios  e da expulsão de populações - o convívio difícil com o diferente,o não igual.As dificuldades do dia a dia na guerra.

São inúmeras situações,colocadas com alguns intervalos entre elas - acompanhamos o que acontece e às vezes os personagens ficam um tempo sem aparecer ,a luta para se manter num sociedade policialesca ,os embates pessoais,os amores possíveis(sem "romance"),o enfrentamento da morte,as dificuldades da miséria,a esperança ou falta dela.
O caráter humano sobressai,ninguém é herói ou vilão completamente, tudo depende do que acontece e das reações provocadas.E acompanhamos todos e dá vontade de "ajudar",de estar junto,fazer parte.

Não é o livro da minha vida,mas gostei muito - eu adoro histórias com recorte temporal e esta mostrando um episódio da Segunda Guerra(apesar de eu já ter assistido a n filmes" Stalingrado")é muito rica,humana e "moderna" -  é literatura engajada politicamente, é uma "denuncia" do modo de vida daquela população de 70 anos atrás,um período não tão longíqüo assim,mas já distante da realidade atual.E a vida mostrada é verossímil,parecem verdadeiros os personagens ,não são rasos.E suas histórias tocam o humano que há em cada um de nós.